Blog

O coronavírus pode ficar do lado de fora!

“A Sofia bate no irmãozinho menor, que começa a chorar. Ela, então, cheia de frustração, joga com força seu próprio brinquedo, e ele se quebra – aí, quem começa a chorar super alto é ela. A mãe vem correndo e se agacha surpresa perto da Sofia, para ver o que está acontecendo, e leva um tapa da filha. A mãe se desequilibra e cai para trás…. E começa a chorar também.”

Talvez outra mãe reagiria batendo na filha, ou agarrando sua mão e puxando-a com força para longe, colocando-a de castigo; outra, talvez, gritaria com a menina. Independente da reação, o que podemos perceber é que a família toda está estressada e em uma situação delicada que precisa ser olhada com atenção.

 

As medidas de contenção do coronavírus têm tirado as pessoas da exposição lá fora, mas tem exposto as famílias à grande tensão dentro de casa. O que será que passa na cabecinha da Sofia para estar assim tão nervosa? Como será que o irmãozinho está se sentindo quando para ele parece mais perigoso dentro, do que lá fora? E a mãe, que carrega uma responsabilidade enorme de manter os filhos ocupados e alimentados, e ter que pagar as contas com um dinheiro que pode não chegar? Isso pode acontecer com qualquer família.

 

Em situação de crise, as crianças podem apresentar mudanças de comportamento, como irritadiças, ou mais ‘grudentas’, agitadas, retraídas, ou mais sensíveis, com mais fome, ansiosas, podem molhar a cama, entre outras.

 

Nesse momento, é importante que as crianças se sintam seguras em casa, fisicamente e emocionalmente. Tente reagir com calma, mesmo que isso pareça impossível. Respire bem fundo e se disponha a ouvir seu filho ou filha com atenção. A tranquilidade das crianças virá quando você estiver calma(o)!

 

Coloque em sua mente que agora não tem pressa para chegar a lugar nenhum, então, sente-se e olhe para seu filho. Procure ouvir e dar uma dose extra de atenção e paciência. Quando as crianças passam por dificuldades, elas precisam de mais demonstração de amor e atenção, para se sentirem protegidas. Seguem então algumas dicas para que a tensão do coronavírus não entre em sua casa:

 

  • Tente explicar às crianças o que está acontecendo do lado de fora, com palavras que elas
    entendam, de acordo com sua idade, e deixe claro porque não podem sair e como devem se
    cuidar, mas sem deixa-las assustadas.
  • Reforce o quanto estarem em casa é seguro.
  • Afirme que o coronavírus vai passar, mas enquanto isso, podem aproveitar esse tempo juntos.
  • Reconheça seus sentimentos, e como deve ser difícil ficar longe de seus amigos que geralmente encontram todos os dias, ou não verem sua (seu) professora(r), ou mesmo o vovô ou a vovó, ou outros de quem sentem saudade.
  • Pense com elas formas de manterem contato com os familiares e amigos, virtualmente, ou
    escrevendo cartas ou desenhos para entregarem quando puderem se encontrar.
  • Não tenha medo de verbalizar o quanto essa situação está deixando você mais nervosa(o), e
    combinem como podem se ajudar para que fiquem mais relaxados.
  • Procure se atualizar das notícias apenas uma ou duas vezes ao dia, e não deixe a TV ligada com noticiário, para que as crianças não fiquem ansiosas, e nem você.
  • De forma bem tranquila, tente preparar as crianças para o caso de alguém da família ficar
    doente e precisar ficar uns dias no hospital, para que os médicos lhe ajude a ficar melhor.
  • Não se imponha tarefas que não se sente habilitada(o) para exercer, como dar aulas para
    substituir a escola, ou criar brinquedos que viu na internet, ou cantar e pular, etc. Tudo isso você pode fazer se levar jeito, e pode até descobrir que consegue e gosta, mas não assuma
    responsabilidades que lhe deixarão mais tensa(o) ou frustrada(o) se não conseguir. Você já tem tarefa suficiente!
  • Relaxe e não faça nada com as crianças. Isso mesmo! Estar sentada(o) no chão ou no sofá com
    as crianças, totalmente disponível, sem nenhum plano, fará com que elas se sintam protegidas e seguras, e acredite, a criatividade delas vai aflorar.
  • E a qualquer momento do dia ou noite, ore a Deus, com ou sem as crianças, para que Ele lhes
    traga calma e proteção. A certeza de que não estão sozinhos, e de que Deus pode cuidar, dará a você e às crianças a melhor experiência deste tempo, que levarão consigo para enfrentar outras situações difíceis no futuro.

 

Estamos produzindo, e também compartilhando, conteúdo relevante para ajudar você a lidar melhor com as crianças neste tempo de mudanças drásticas na sua rotina. Acompanhe aqui e nas nossas mídias sociais sempre que precisar.

 

Clenir dos Santos

Diretora Internacional do Projeto Calçada