fbpx

Blog

Aconselhamento Virtual

Com o isolamento social, medida que temos adotado em combate ao coronavírus, os educadores capacitados pelo Projeto Calçada estavam impedidos de realizar aconselhamentos. As brincadeiras e histórias da Bolsa Verde sempre foram contadas pessoalmente, numa conversa muito especial, mas esse tempo de quarentena pedia uma nova solução. Por isso, assim como nos reinventamos na criação do aplicativo da Bolsa Verde, mais uma vez decidimos inovar, agora com os aconselhamentos virtuais. É uma realidade bem diferente da que estamos acostumados, mas resolvemos encarar o desafio.

 

Para ter certeza de que o atendimento online teria um efeito positivo, realizamos uma testagem, entre os dias 17 ao 29 de abril. Foram 20 aconselhamentos em três países diferentes. Nós mantivemos nosso público alvo: a maioria dos atendidos se encontrava em alguma situação de risco ou até mesmo infectados pelo coronavírus. De todos eles, apenas um já havia sido atendido pessoalmente, para os outros, esse foi o primeiro encontro com a Bolsa Verde. 90% das educadoras consideraram o atendimento eficaz, e a taxa de melhora da autoestima nesses encontros foi a mesma dos encontros presenciais, 95%!

 

“Quando vi essa taxa tão alta eu cheguei a duvidar, não esperava que seria tão bom. Avaliei muito cada detalhe para ter certeza de que era isso mesmo, e é! Com esses resultados não poderíamos ter outra atitude, a não ser liberar os atendimentos virtuais. Estamos muito felizes”, comentou Clenir Xavier, diretora internacional do Projeto Calçada.

 

Durante a testagem, a grande maioria dos traumas compartilhados tinham relação com abuso sexual, doença ou luto. Isso mostra como os aconselhamentos são importantes e podem ter uma aplicação especial durante a quarentena.

 

Os encontros online poderão ser realizados pelos educadores capacitados para usar o aplicativo da Bolsa Verde (com crianças que tenham acesso à internet, o que descobrimos não ser tão raro para muitas famílias da zona urbana). Podem ser atendidas crianças a partir de nove anos, sem limite de idade. Há algum tempo já temos percebido que nossa metodologia também tem efeito transformador nos adultos e acreditamos que ela pode ser um instrumento muito importante nesse tempo.

 

Nós continuaremos avaliando os resultados dos aconselhamentos virtuais durante a pandemia, e se mantiverem positivos, poderemos no futuro alcançar pessoas em outras situações de isolamento, como casos de internação hospitalar em geral.

Luciana Falcão, coordenadora do Projeto Calçada no Brasil, durante testagem do aconselhamento virtual. A foto da criança é ilustrativa.